Relação entre a Epistemologia e a Biologia –

by

A forma segundo a qual o conhecimento do Homem é adquirido assemelha-se bastante com a forma segundo a qual os organismos se modificam ao longo do tempo. O saber humano começa por ser simples, e vai-se complexificando aos poucos, sendo que novas formas de saber que envolvem um conjunto conceptual cada vez mais complexo, vão se firmando com o passar do tempo.

A partir de um reduzido conjunto de conceitos representados por palavras, o Homem, ao longo do tempo, vai sendo capaz de representar uma parcela maior desta infinitude de conhecimento que existe no universo.

Da mesma forma que há inúmeras maneiras de entender um ser vivo, há também inúmeras maneiras de se representar o universo, e esta que utilizamos é apenas uma das várias maneiras possíveis. Contudo, nem todas as maneiras, são possíveis.

Da mesma forma, que apenas um conjunto pequeno do seres que poderiam estar vivos estão vivos de facto, também apenas um pequeno conjunto das formas de se representar o mundo existem de facto. Na verdade, são mais as formas incorrectas de representar o mundo, do que aquelas que se podem considerar fiáveis.

Dawkins afirma que apenas uma parcela dos organismos possíveis existem. A analogia permite nos concluir que apenas uma pequena parcela dos conhecimentos possíveis, são consistentes entre si, e que são também consistentes com o mundo real.

O que para a biologia é o gene, pode ser dito como sendo a palavra para a epistemologia. A relação entre a proteína e a acção do gene pode ser equiparada à relação entre a palavra e o conceito.

A interacção entre proteínas pode ser imaginada como a relação entre conceitos.

A epistemologia moderna já se provou de facto histórica. Os mais influentes epistemólogos do século XX  foram capazes de entender que o conhecimento não pode ser entendido como algo fixo. A ciência e a técnica avançam de forma comparativa.

Uma teoria científica não pode ser considerada boa ou má. Não há forma de avaliar a qualidade de uma teoria científica, a não ser quando ela é comparada a outra teoria que trate de um mesmo aspecto ou de aspectos relacionados.

É por isso,  que se entende o conhecimento de uma forma evolutiva. Um organismo também não se pode dizer plenamente adaptado a um determinado ambiente, pode-se sempre imaginar organismos que sejam muito mais adaptados àquele ambiente como também se pode imaginar organismos que sejam muito menos adaptados a esse mesmo ambiente.

A forma com definimos os conceitos, as teorias e os organismos baseia-se num padrão individual que temos para o que consideramos bom ou mau, consoante a época que nascemos e o que nos foi dado a ver ao longo das nossas vidas. O bom e o mau não existem de uma forma absoluta.

No universo, na vida e na mente humana, tudo deve ser entendido comparativamente.

http://tragodefilosofia.blogspot.com/2007/07/sugestes-para-uma-epistemologia-baseada.html (adaptado)

Uma resposta to “Relação entre a Epistemologia e a Biologia –”

  1. agost2010 Says:

    texto com interesse para o tema
    o post não tem as categorias correctas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: